BK2

Revista Brasileira de Geografia publica matéria do baixo curso do rio Jequitinhonha após a construção da Usina Hidrelétrica em Itapebi

Importante revista de divulgação cientifica publica artigo sobre as alterações ocorrida no baixo curso do rio Jequitinhonha após a construção da Usina Hidrelétrica de Itapebi.

A Revista Brasileira de Geografia Física, importante canal de divulgação de estudos científicos de relevância para as Ciências Ambientais publicou um importante artigo que trata das mudanças ocorridas no baixo curso do rio Jequitinhonha e os impactos geomorfológicos ocasionados no seu delta.  O importante artigo é de autoria de Vinicius de Amorim Silva , Luca Lämmle e  Archimedes Perez Filho, onde foi recebido em 22/01/2021 e aceito em 23/05/2021.

Os autores realizaram mapeamento geomorfológico e trabalho de campo para validações dos dados. O trabalho de campo foi realizado ao longo de quatro dias na região por  vias aquáticas, através de embarcações em trecho nas proximidades da barragem até o delta, observando-se os vários fatores de alterações como erosão e acumulação ocorridos ao longo das duas margens. Já em vias terrestres o trabalho de campo aconteceu nas proximidades da foz, ao longo do município de Belmonte, onde foram colhidos importantes relatos da população.

O trabalho realizado pelos autores visa analisar as alterações ocorrida no Rio Jequitinhonha a partir da construção da Usina Hidrelétrica de Itapebi, demostrando além do baixo curso do rio após a construção da barragem, a erosão nas margens próximo a foz, as alterações nos transportes sedimentos  identificadas também em áreas de mangue, onde existe considerável acúmulo de sedimentos marinhos devido ao processo de erosão costeira. O artigo ainda   cita que houve aceleração no processo de erosão ocorrido na Praia do Mar Moreno devido barramento dos sedimentos de fundo do rio Jequitinhonha e a alteração da energia potencial e cinética do fluxo fluvial.

Os autores ainda mencionaram no artigo o apoio operacional da Prefeitura Municipal de Belmonte para a realização dos trabalhos.

”Não medimos esforços para poder cooperar com este importante trabalho de estudo cientifico realizado em nosso município.  Conforme demonstrado pelo estudo em comento, o Rio Jequitinhonha tem sofrido muitas mudanças desde a construção da barragem, o que consequentemente tem refletido diretamente no meio ambiente, na economia local e principalmente no bem mais precioso que é a vida das pessoas. Precisamos chamar atenção para este problema e buscarmos alternativas seguras de resolvê-lo para assim proporcionarmos uma vida saudável para esta e futuras gerações”, disse o Prefeito Bebeto Gama.

Sair da versão mobile