Diversas

Operação da PF faz busca e apreensão na prefeitura de Niterói

Carro da PF durante operação no Rio de Janeiro 28/07/2015 REUTERS/Sergio Moraes

Estão sendo cumpridos 11 mandados de busca e apreensão no Rio e em SP

Foi deflagrada na manhã de hoje (16) a Operação Transoceânica, da Polícia Federal e do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro. A investigação apura indícios de irregularidades na contratação de obras do BRT Transoceânica Charitas-Engenho do Mato e em contratos de publicidade da Prefeitura de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

Estão sendo cumpridos 11 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região em órgãos públicos, empresas e residências nas cidades do Rio de Janeiro, Niterói e São Paulo. Entre os endereços estão a sede da prefeitura de Niterói e a residência do prefeito, Rodrigo Neves.

Em nota, a prefeitura de Niterói considerou a ação “absurda” e informou que Neves nunca foi convidado a prestar qualquer esclarecimento à Polícia Federal. A prefeitura destaca que a operação não apreendeu nenhum objeto de valor, apenas o celular pessoal do prefeito, que “não possui automóvel ou objeto de valor”.

Sobre o objeto de investigação, a prefeitura afirma que a prestação de contas da obra foi aprovada pelos órgãos de controle “há muitos anos”.

“Apesar de não ter informações sobre do que se trata a ação, o prefeito esclarece que a Transoceânica e o túnel Charitas Cafubá foram concluídos há tempos, cumprindo o planejamento da obra e melhoraram muito a qualidade de vida dos niteroienses. A prestação de contas detalhada foi concluída e aprovada por órgãos de acompanhamento e financiamento, como a Caixa Econômica Federal”.

A nota afirma, ainda, que a obra foi feita com “custo menor do que todos os projetos similares, no Brasil e na América do Sul” e que a ação de hoje é “abusiva, típica de regimes autoritários” e tem objetivos políticos.

“O objetivo da ação sobre fatos ocorridos há muitos anos, sem que o prefeito jamais tenha sido ouvido, tem o claro objetivo de desgastar a administração e o prefeito que tem aprovação de mais de 85% da população e cujo sucessor obteve vitória retumbante no primeiro turno com 62% a 9%. O prefeito repudia a utilização de aparato do Estado com a polícia para ações de perseguição política”.

A nota destaca que Neves vem sofrendo ataques e perseguições desde 2018, mas nada foi encontrado contra ele.  “O prefeito e sua defesa tomarão todas as medidas para identificar a origem desta perseguição política e responsabilizar os seus autores”.

Edição: Valéria Aguiar

Banner de propaganda da agência de sites GR3 WEB

Related posts
DiversasEconomiaMarketing Digital

7 dicas para comprar um novo colchão

Com tantas opções de colchões para escolher, comprar um novo pode ser uma decisão que gere…
Read more
DiversasMarketing DigitalNacionais

Governo baiano troca comando de 57 unidades da PM

O governo baiano mudou 57 comandos da Polícia Militar (PM) em todo o estado. Somente em Salvador…
Read more
DiversasEconomia

Porto Seguro é o destino nacional mais procurado em ranking da CVC

No dia 29/11 foi realizado 18º Fórum Panrotas, no Pavilhão Azul do Expo Center Norte, em…
Read more
Newsletter
Cadastre seu e-mail

Cadastre seu e-mail e receba nosso conteúdo exclusivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *