BK2

Neto Carletto reafirma compromisso com o PP e revela bastidores da saída de Ronaldo Carletto do partido

O deputado federal Neto Carletto (PP), em entrevista ao podcast Projeto Prisma nesta segunda-feira (18), afirmou que pretende permanecer no Progressistas para disputar a reeleição à Câmara dos Deputados apesar da saída do tio e padrinho político, Ronaldo Carletto, hoje, presidente do Avante.

Em junho, o presidente estadual da legenda na Bahia e deputado federal, Mário Negromonte Júnior (PP), também em entrevista ao Projeto Prisma, revelou que um compromisso foi firmado entre Neto Carletto e o senador Ciro Nogueira, presidente nacional do PP. 

“Em relação ao que ele falou, o compromisso que eu tenho com o partido não é com o deputado Mário Negromonte Júnior, mas sim em Brasília, juntamente com o senador Ciro Nogueira e com o presidente da Câmara Arthur Lira, que eu construí essa relação que se iniciou através de Ronaldo Carleto”, destacou o deputado.

Ele ainda comentou sobre a saída de seu padrinho do PP e disse que “jamais vai abandonar” Ronaldo Carletto. “Eu não vou jamais abandonar meu padrinho político, meu exemplo, que é Ronaldo Carletto, que me ajudou na minha campanha. Que até hoje me dá conselhos e também está lado a lado comigo sempre me orientando, me aconselhando. Não vou deixar ele desamparado nesse sentido”, disse o deputado.

Neto Carletto destacou que a atual conjuntura do Avante não foi construída por Ronaldo Carletto sozinho, mas sim aliada a alguns deputados estaduais e com o governador Jerônimo Rodrigues (PT) e o ex-governador e atual ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT).

O deputado explicou que, antes de Ronaldo assumir a presidência estadual do Avante, os dois petistas, juntamente com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), articularam a possibilidade de Ronaldo assumir como presidente do PP na Bahia.

“[A ida de Ronaldo Carletto para o Avante] foi feita em conjunto e eu posso dizer isso porque participei. Na verdade, eu iniciei essas conversas na viagem que eu tive na China. Viajaram tanto o ministro Rui Costa, como o governador Jerônimo. Os dois em conjunto tocaram nesse assunto. Essa conversa se iniciou depois das eleições, quando Jerônimo e Rui estiveram na casa de Ronaldo Carletto junto com Lula e pediram para Ronaldo assumir o PP”, contou o parlamentar.

O deputado revelou que, durante as conversas, foi dito que com João Leão (PP) – outra candidato para vaga à presidência estadual da sigla – “não teria tocar o projeto”. No final das contas, nem Leão e nem Ronaldo ficaram com a cadeira que hoje é ocupada por Mário Negromonte Júnior.

VETO DO GOVERNO?

Questionado sobre a possibilidade de haver um veto do governo com os deputados federais do PP, Neto Carletto disse que é possivel. “Acho que o governo pode dizer melhor, mas os fatos dizem mais do que eu aqui dizer que o governo tem um veto com os outros deputados federais, mas é possível. Até porque o deputado Ronaldo Carletto conseguiu atrair tanto prefeitos e lideranças não foi sozinho e nem à toa. Foi com o apoio e o aval do governador Jerônimo e do ministro Rui Costa. Se isso não estivesse acontecendo, se o atual presidente do PP [Mário Negromonte Júnior] tivesse o aval do governo Jerônimo, ele não estaria perdendo tantos prefeitos e lideranças para o Avante e Ronaldo Carletto. É o sentimento que fica”, alfinetou o parlamentar.

Sair da versão mobile