BK2

Madrugada: Após seis na capital, polícia de município baiano contabiliza mais cinco mortes em confronto

Cindo suspeitos morreram na madrugada deste sábado, 23 de setembro, na cidade de Crisópolis, a cerca de 210 km de Salvador, após confrontos com as forças de segurança. O confronto aconteceu um dia depois que cinco suspeitos de integrarem facções criminosas terem sido mortos na capital baiana e um em Feira de Santana, durante uma operação montadas pelas polícias Civil, Militar e Federal, visando o combate a criminosos no estado da Bahia.

De acordo com informações da Polícia Militar, houve uma informação dando conta que homens armados vendiam drogas em um bairro de Crisópolis. Após troca de tiros, um homem foi encontrado ferido e levado para o Hospital Geral do Município (HGM), onde não resistiu.

Ainda segundo a polícia, durante as buscas por outros suspeitos de tráfico, houve uma nova troca de tiros, com quatro feridos, que também foram socorridos, mas morreram.

Segundo o balanço policial, foram apreendidos uma submetralhadora, uma espingarda, três revólveres, munições, balanças de precisão, cocaína e maconha.

Os nomes dos resistentes, bem como suas idades, ainda não foram divulgados à imprensa.

Capital

No dia anterior, sexta-feira, 22 de setembro, segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP/BA), 21 atuantes integrantes de um grupo criminoso no bairro de Águas Claras, em Salvador, foram localizados durante cumprimento de mandados de prisão e mandados de busca e apreensão realizados no âmbito da Operação Saigon, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Armas, drogas e dinheiro também foram apreendidos durante as ações.

Ainda segundo a SSP/BA., nas diligências, 15 homens e mulheres tiveram os mandados de prisão cumpridos e seis resistiram, trocaram tiros com a polícia, foram feridos e socorrido para o hospital, mas não sobreviveram. Dentre eles, Eduardo dos Santos Cerqueira, mais conhecido como ‘Firmino’, que segundo a polícia seria uma das lideranças do tráfico de drogas no bairro. Ele era apontado por ser o mandante de diversos homicídios ocorridos na localidade.

Outro investigado que resistiu a prisão é Gilmar Santos de Lima, o ‘Capenga’, que segundo a SSP, acumula uma extensa ficha criminal, com entradas por tráfico de drogas e homicídio. Durante a Operação Saigon, a mãe de ‘Capenga” foi presa com drogas, a quantia de R$ 8 mil e a esposa dele estava com uma arma de fogo.

Todos os presos foram encaminhados para a sede do DHPP onde ficarão à disposição do Poder Judiciário. Um dos mandados de prisão foi cumprido no Sistema Prisional contra um homicida. Todo material apreendido foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Sair da versão mobile