BelmonteMundo

Escapulário de Nossa Senhora do Carmo

Segundo a doutrina católica, a primeira veste de que se tenha notícia na História remonta ao Paraíso Terrestre. O Gênesis (3, 21), o primeiro livro da Bíblia, conta que, após a queda dos primeiros pais da humanidade, Adão e Eva, o próprio Deus lhes confeccionou túnicas de pele e com elas os revestiu. Bem mais tarde, Jacob fez uma túnica de variadas cores para o uso de José, seu filho bem-amado (Gn 37, 3). E assim, as vestimentas vão sendo citadas nestas ou naquelas circunstâncias, ao longo das Escrituras (Gn 27, 15; 1 Sm 2, 19; etc.). Uma vestimenta, porém, ocupa lugar “princeps” entre todas as demais: a túnica de Jesus Cristo sobre a qual os soldados deitaram sorte, por se tratar de uma peça de altíssimo valor, pelo facto de não possuir costura. Uma piedosa tradição atribui às mãos da Virgem Maria a arte empregada em sua confecção. Ao se darem conta, os soldados, da elevada qualidade daquela peça, tomaram a resolução de não rasgá-la.Os frades e as freiras da Ordem dos Carmelitas usam o Escapulário de Nossa Senhora do Carmo.

O Escapulário é um sinal de aliança com Nossa Senhora, e exprime a consagração de quem o usa a Ela. Segundo a devoção católica, assim como vestia Maria a seu Filho Jesus, da mesma forma Maria quer revestir também a nós, seus filhos adotivos. Pois, toda a humanidade, simbolizada por João Evangelista, foi entregue por Jesus aos cuidados de Maria, na mesma ocasião em que os soldados, pela sorte, decidiam sobre a propriedade da túnica de Jesus, ao dizer: “Mulher, eis aí teu filho” (Jo 19,26).

O Escapulário do Carmo, enquanto veste devocional, surgiu no século XII. Segundo a tradição católica, no dia 16 de julho de 1251, São Simão Stock suplicava a Nossa Senhora ajuda para resolver um problema da Ordem do Carmo, da qual era o Prior Geral. Enquanto ele rezava, a Virgem Maria apareceu-lhe, trazendo o Escapulário nas mãos, e disse essas confortadoras palavras: “Recebe, Meu filho, este Escapulário da tua Ordem, como sinal distintivo da Minha confraria e selo do privilégio que obtive para ti e para todos os Carmelitas: o que com ele morrer, não padecerá o fogo eterno. Este é um sinal de salvação, uma salvaguarda nos perigos e prenda de paz e de aliança eternas”.

Ao longo do séculos, gerações e gerações de católicos, sobretudo os religiosos e leigos consagrados carmelitas, difundiram esta devoção mariana por todo o mundo, tornando-a numa das devoções católicas mais difundidas. Para os seus defensores, o Escapulário é uma poderosa ajuda espiritual, conferida através da Virgem Maria, para aqueles que vivem em estado de graça e um valioso instrumento para converter os pecadores.Imagem de Nossa Senhora do Monte Carmelo em Maipú, no Chile.

Os Papas enaltecem o uso do Escapulário

Em 1951, por ocasião da celebração do 700º aniversário da entrega do Escapulário, o Papa Pio XII disse em carta aos Superiores Gerais das duas Ordens carmelitas: “Porque o Santo Escapulário, que pode ser chamado de Hábito ou Traje de Maria, é um sinal e penhor de proteção da Mãe de Deus”.

Exatamente 50 anos depois, o Papa João Paulo II afirmou: “O Escapulário é essencialmente um ‘hábito’. Quem o recebe é agregado ou associado num grau mais ou menos íntimo à Ordem do Carmo, dedicada ao serviço da Virgem para o bem de toda a Igreja. (…) Duas são as verdades evocadas pelo signo do Escapulário: de um lado, a constante proteção da Santíssima Virgem, não só ao longo do caminho da vida, mas também no momento da passagem para a plenitude da glória eterna; de outro, a consciência de que a devoção para com Ela não pode limitar-se a orações e tributos em sua honra em algumas ocasiões, mas deve tornar-se um ‘hábito’.”

Esses dois Pontífices confirmaram, assim, variadíssimas manifestações de apreço ao Escapulário feitas por vários Papas, tais como Bento XIIIClemente VIIBento XIVLeão XIIISão Pio X e Bento XV. Bento XIII estendeu a toda a Igreja a celebração da festa de Nossa Senhora do Carmo, a 16 de julho.

Os grandes privilégios do Escapulário

Uma das promessas de Nossa Senhora do Carmo a São Simão Stock se refere ao “privilégio sabatino”, que consiste que aquele que morrer usando o escapulário, cumprindo algumas condições, sairá do Purgatório no primeiro sábado após sua morte. A condição para lucrar o “privilégio sabatino” é guardar a castidade, mas como também buscar viver uma vida segundo o Evangelho e os ensinamentos da Igreja, guardando os Santos Mandamentos segundo o estado de vida de um cristão, para a imposição deve-se e rezar a penitência imposta pelo sacerdote na recepção do escapulário ou o ofício da Virgem Maria. A promessa principal do escapulário consiste na própria salvação eterna: ‘“Quem morrer com o Escapulário não padecerá o fogo do inferno”.

Não obstante, para beneficiar-se deste privilégio, a Igreja ensina que é necessário usar o Escapulário com reta intenção. Neste caso, se na hora da morte a pessoa estiver em estado de pecado mortal, Nossa Senhora providenciará, de alguma forma, que essa pessoa moribunda se arrependa e receba os sacramentos.Detalhe do retábulo-mor monumental da Basílica do CarmoRecife. A imagem de Nossa Senhora do Carmo, doada por Dona Maria I de Portugal, foi confeccionada no século XVII com 2,2 metros de altura e 250 quilos, e possui coroa de três quilos de ouro.

Igreja Católica, antes de mais, esclarece que o Escapulário não é um sinal “mágico” de salvação. Não é uma espécie de amuleto cujo uso dispensa os fiéis das exigências da vida cristã. Não basta, portanto, carregá-lo ao pescoço e dizer: “Estou salvo!”. Logo, o escapulário não é um amuleto, mas é um convite de consagração e de imitação a Virgem Maria. O Papa Pio XII, em uma carta em comemoração dos 700 anos do escapulário exorta os fiéis para que não use o escapulário como um amuleto de superstição. Na tradição da Santa Igreja, o escapulário é um objeto sacramental, pois Deus que nos convida a uma mudança de vida, nos concede tamanha graça e use elementos tão simples para fazer com que os seus fiéis mudem o seu coração e têm a misericórdia para com as almas santificando-as por meio da Virgem Maria.

Quem usa o Escapulário pode beneficiar-se também de indulgência plenária (remissão de todas as penas do Purgatório) no dia em que o recebe, na festa de Nossa Senhora do Carmo, 16 de julho; desde de que esteja em estado de graça ou seja tenha confessado os seus pecados com o Padre, participar da Santa Comunhão, e rezar pelas intenções do Santo Padre o Papa, bem como renovar as promessas de carregar para sempre este ‘hábito’ os hábitos das virtudes da Virgem Maria.

Banner de propaganda da agência de sites GR3 WEB

About author

Articles

PORTALBELMONTE é um portal de notícias de Belmonte e região com mais de 20 anos de credibilidade trazemos sempre o que acontece de mais relevante para você. Telefones: (73)99954-2314 Endereço: Travessa Santo Antonio, 13 - Barrolândia - Belmonte - BA
Related posts
BelmontePolitica

A Prefeitura de Belmonte começou a pagar os salários do mês de julho nesta quarta-feira (28).

A Prefeitura Municipal de Belmonte através da Secretaria Municipal de Finanças liberou nesta…
Read more
BelmonteNacionaisNews

REFORMAS DA ESTRUTURA FÍSICA DA FILARMÔNICA 15 DE SETEMBRO SEGUEM FIRMES

A Diretoria da Filarmônica 15 de Setembro, através do apoio da população belmontense e empresas…
Read more
BelmontePolitica

CONVITE: Extensões Socioassistenciais em Boca do Córrego e Santa Maria Eterna

A Política de Assistência Social do município de Belmonte tem como base o SUAS – Sistema…
Read more
Newsletter
Cadastre seu e-mail

Cadastre seu e-mail e receba nosso conteúdo exclusivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *