BK2

Dicas para se planejar e reformar sua casa

Reformar a própria casa é o sonho de muitas pessoas, mas que pode ser postergado pelo trabalho, tempo e recursos dispostos nessa atividade. A prática, entretanto, pode ser mais simples e barata a partir de uma boa administração.

Os serviços da construção civil apresentam uma demanda constante, posto que reformas representam a valorização financeira do imóvel e o aumento no conforto, simbolizando dois dos maiores benefícios para qualquer indivíduo.

A importância de preparar-se

As reformas podem durar muito tempo, variando entre semanas e até anos para o término. Seus valores são tão distintos quanto o tempo e a mão de obra necessária, uma abundância de opções que podem prejudicar a decisão do morador.

Ao analisar o local onde se mora, é muito comum pensar em formas de melhorá-lo. A troca de uma pia, a instalação de armários para escritório, a ampliação de um cômodo ou a remoção de uma parede são tópicos frequentes no imaginário dos moradores.

O orçamento, por outro lado, nem sempre é tão vasto quanto as necessidades percebidas pelo consumidor. Portanto, é imprescindível definir prioridades. Preparar-se para uma reforma é dar contornos realísticos àquilo que é sonho, evitando a frustração.

Como se planejar

O planejamento é a fase inicial para implementação de qualquer plano. Seja para construção, manutenção ou restauração de partes de uma casa ou apartamento, algumas dicas valiosas podem guiar o morador neste processo:

1 – Converse com profissionais da área

Os profissionais da construção civil se distribuem entre engenheiros, arquitetos, pedreiros, eletricistas, encanadores e muitos outros, envolvidos desde a criação da estrutura até o acabamento de casas e apartamentos.

Conversar com um profissional experiente pode esclarecer pontos importantes da reforma, visto que um olhar perito pode encontrar possíveis problemas ou oportunidades ocultas para um leigo na área e em especialidades, como restauração de fachadas.

Seja qual for o objetivo ou tamanho da reforma, procurar a ajuda de alguém que conheça o segmento é essencial. Além das questões que envolvem a atividade em si, um bom profissional pode recomendar mão de obra qualificada para a sua obra.

Todos sabem que ter à disposição profissionais de qualidade é fundamental para a economia de recursos, a redução no potencial de atrasos e problemas futuros com a reforma, poupando estresse do morador.

2 – Avalie valores de materiais e mão de obra

Os materiais usados em uma reforma são numerosos e variam desde superfícies que serão instaladas até ferramentas necessárias para executar a tarefa. Ainda que o morador não adquira equipamento de maneira direta, esses custos impactam no valor final.

Conhecer o preço real de cada produto e serviço dá mais poder de barganha ao consumidor, que pode identificar oportunidades ou a elevação excessiva de valores em uma proposta. Esse tipo de pesquisa deve ser realizada com meses de antecedência.

Tal período se dá pois os preços variam no mercado da construção civil, afetados por aspectos macroeconômicos ou efeitos regionais, como o desabastecimento temporário de algum composto.

Cada detalhe deve ser considerado na hora de projetar o orçamento da reforma, incluindo possíveis gastos adicionais com instalações elétricas ou reforço na estrutura, como a reposição de vigas de ferro ou preenchimento em concreto.

Vale ressaltar que os materiais de acabamento costumam ser mais caros, se comparados com elementos da estrutura, valores que podem diminuir ou aumentar de acordo com a matéria-prima escolhida e até mesmo acessórios de apoio aos móveis.

3 – Faça um mapeamento da estrutura

O mapeamento da estrutura é a análise, realizada por um engenheiro, que calcula o peso e condições da construção, a fim de identificar fraquezas e projetar a capacidade máxima de sustentação. Contudo, cada reforma exige uma abordagem distinta.

A instalação de uma piscina em uma casa, por exemplo, demanda a análise de um engenheiro para calcular o peso da estrutura em termos de profundidade e armazenamento de água, a permeabilidade dos materiais usados e o tipo de solo onde será posto.

Quando a instalação é realizada em uma varanda ou laje com boxes de vidro, o mapeamento deve ser feito em toda a estrutura da casa ou apartamento. A presença de fiação elétrica e a disposição da rede de esgoto também são consideradas no processo.

4 – Considere necessidades de mudança

Uma reforma pode ser demorada e gerar muito entulho e ruído, impossibilitando a circulação em algumas áreas. A depender do tamanho da reforma, é importante considerar a possibilidade de se mudar do espaço.

Se a reforma é local e compromete uma parte pequena da casa, a família pode permanecer nela durante a obra, mas uma realocação de móveis, eletrodomésticos e outros elementos internos é necessária na maior parte dos projetos.

As necessidades de mudança podem aumentar custos de deslocamento ou empacotamento de móveis e objetos pessoais, além de exigir, em alguns casos, investimentos adicionais com hospedagem.

5 – Consulte normas reguladoras

Os imóveis estão submetidos a regras municipais e estaduais, que servem para delimitar zonas urbanas, assegurar a preservação de reservas ambientais, manter a harmonia visual de calçadas e vias destinadas ao trânsito de carros.

Além dessas regras, pelas quais toda construção residencial está submetida, normas privadas de condomínios podem estar presentes e influenciar a execução de obras. Uma reforma de apartamentos deve ser realizada de acordo com as limitações impostas.

Entre as mais conhecidas, sendo alvo de controvérsia está a restrição de horários, que delimita a quantidade de barulho permitida em zonas residenciais de acordo com o período do dia. Certas máquinas chegam a ultrapassar até mesmo o limite mais alto.

Ao consultar as normas reguladoras da região e do condomínio, o morador demonstra sua consideração por vizinhos, diminui o risco de conflitos e elimina o risco de multas e processos judiciais causados pela inadequação às regras estabelecidas.

Reformando a casa

As reformas residenciais podem ocupar um ou mais cômodos ao mesmo tempo, com atividades diversificadas, dentre as quais são as mais comuns: 

Os passos necessários para executar uma reforma variam de acordo com o objetivo buscado pela equipe. Contudo, em todos os casos, alguns fatores se destacam em meio aos demais:

Iluminação natural na ampliação de espaços

A iluminação natural projetada sobre o ambiente interno pode ser aprimorada com a aplicação de técnicas visuais durante o planejamento da reforma, seja na combinação de determinadas cores ou na escolha de materiais que cobrirão a superfície. 

A iluminação natural afeta o consumo de energia elétrica e a capacidade da construção em absorver e dissipar calor. Cuidar desse aspecto toca na economia de recursos, bem como no conforto térmico dos espaços internos. 

A colorimetria segmenta as cores com base em sua temperatura, sendo as categorias quente, frio e neutro. Cada grupo de cores se comporta de maneira distinta e pode refletir a luz de maneira diferente, em caso de exposição direta ou indireta. 

A pintura de parede externa deve considerar a cor de acordo com sua taxa de absorção de calor. Considerando a cor branca com maior dissipadora de calor, e preta com a maior capacidade de absorção, as combinações seguem a preferência do morador. 

O emprego de pedras naturais também melhora a temperatura do ambiente interno e sua coloração mais clara aumenta a sensação de amplitude do espaço, ideal para áreas reduzidas em apartamentos, por exemplo. 

Matérias-primas resistentes

Os acabamentos compõem, em geral, o revestimento de paredes internas e externas, a colocação de portas, janelas e balcões, a instalação de pisos, pias e aparelhos para o banheiro, entre outras coisas derivadas. 

O trio de matérias-primas usadas nesta fase da construção ou reparação é formado pelo metal, madeira e pedra, com muitas variações. O metal pode ser aço-inox ou alumínio, a madeira pode ser de vários tipos ou mesmo sintéticas e as pedras assumem a cerâmica. 

Escolher materiais resistentes é fundamental para garantir a longa duração das funcionalidades implementadas. Apesar do lento desgaste, natural desses elementos, alguns tratamentos industriais podem prevenir estragos causados pela ação humana. 

A escolha de cerâmicas que foram modificadas para tornarem-se mais resistentes aos riscos ou ao calor, a preferência por um piso laminado claro impermeável para áreas secas, previnem desgastes causados por quedas e impactos de todo tipo. 

Ventilação otimizada

A ventilação pode ser melhorada durante uma reforma, ainda que esta não seja o foco do serviço contratado. A alteração de janelas deve, no entanto, observar aspectos estruturais, uma vez que envolvem aberturas na parede e autorizações extra em condomínios. 

É recomendado a busca por um arquiteto, posto que esse profissional está habilitado a realizar análises do posicionamento da residência, escolhendo os melhores pontos para circulação de vento e melhorando a experiência do morador. 

Uma ventilação otimizada, além do conforto térmico, reduz a concentração de microorganismos causadores de patologias como viroses e alergias, além de diminuir o acúmulo de sujeira, facilitando o serviço de limpeza de obras

Conclusão

Para reformar a casa, é necessário que o contratante do serviço compreenda o método de funcionamento deste espaço, promovendo uma atenção redobrada ao comportamento de seus moradores para a identificação de prioridades. 

Não é possível destinar um olhar tão cuidadoso sem planejamento. Projetar o que será feito com antecedência representa economia financeira e bem-estar físico e mental, uma vez que reduz a carga de estresse gerada nesse período.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Sair da versão mobile