BK2

Cidades do Extremo Sul recebem projeto de prevenção a desastres naturais

A ONG Visão Mundial, em parceria com a Bureau de Assistência Humanitária, ligada ao governo dos EUA, desenvolve a iniciativa Nordeste pela Resiliência Climática. Em 2020 e 2021, tempestades castigaram a Costa do Descobrimento e outras cidades do Extremo Sul da Bahia, causando um rastro de destruição.

Para tentar evitar que cenas como estas se repitam, a organização selecionou oito municípios para desenvolver um projeto-piloto que pode ajudar na prevenção e na resposta mais efetiva a desastres ambientais.

O processo inicial tem duração estimada de dois anos e prevê a criação de dois polos reunindo as cidades de Porto Seguro, Belmonte, Santa Cruz Cabrália, Eunápolis, Itamaraju, Jucuruçu, Prado e Teixeira de Freitas. Os municípios escolhidos foram aqueles que a Visão Mundial atuou com respostas à urgência durante as calamidades. 

O Nordeste pela Resiliência Climática tem como foco a troca de conhecimento, prevenção de riscos e resiliência diante das severas consequências das mudanças climáticas, especificamente as chuvas intensas, deslizamentos de terra e inundações. 

O projeto prevê a intermediação entre população e poder público por meio de órgãos ligados à mitigação, prevenção e acompanhamento de famílias afetadas por desastres, a exemplo da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, CRAS e CREAS.

Etapas do projeto

Com início em março deste ano, no primeiro momento identificadas as áreas de risco e as famílias que vão participar ativamente das atividades. Algumas pessoas continuam em área de risco. Esse tipo de situação é tão comum na vida delas que muitas não acham que isso é perigoso.

Esta fase conta com uma articuladora da Visão Mundial em regime de dedicação exclusiva, que opera também na articulação com os atores governamentais, têm atuação direta na prevenção e resposta a emergências.

O desenvolvimento das ações conta com três etapas. A primeira começou em setembro, com a realização de oficinas com as famílias, prefeituras e órgãos governamentais, como Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. Em seguida, representantes dos dois polos terão treinamentos e troca de experiências, difundindo as ações que estão dando certo e trocando conhecimento empírico das comunidades, a fim de criar mecanismos de alertas e estratégias de prevenção. Por fim, haverá a apresentação dos resultados para o poder público, podendo replicar as experiências em outras cidades.

Visão Mundial

A Visão Mundial está no Brasil desde 1975, desenvolve programas e projetos nas áreas de proteção, educação, meios de vida, incidência política e resposta a emergências. Está presente em milhares de territórios, pequenos povoados a grandes centros urbanos.

O Bureau de Assistência Humanitária (BHA), da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), fornece assistência humanitária às pessoas mais vulneráreis em diversas partes do mundo que salva vidas. Isso inclui alimentos, água, abrigo, assistência médica de emergência, saneamento, higiene e serviços essenciais de nutrição.

Tragédias

No final de 2021, milhares de famílias baianas enfrentaram, em meio às festas de fim de ano, fortes chuvas que deixaram um rastro de destruição em dezenas de municípios da Costa do Descobrimento e Extremo Sul do estado.

Em janeiro do ano seguinte, quase 200 cidades da Bahia já haviam decretado situação de emergência, e a Defesa Civil apontava 27 mortos e mais de 500 feridos, entre os quase um milhão de atingidos pelos temporais e inundações. Um ano depois, 28 prefeituras voltaram a solicitar apoio formal por causa das condições extremas do clima.

Sair da versão mobile